Principal financiador científico da Europa mostra que a pesquisa de alto risco compensa

Uma auto-avaliação popular e incomum realizada pelo financiador científico de maior prestígio da Europa está de volta. A avaliação anual, agora em seu terceiro ano, constatou que quase um em cada cinco projetos apoiados pelo Conselho Europeu de Pesquisa (ERC) levou a um avanço científico.

Estudo de Impacto do
Conselho Europeu de Pesquisa (ERC)

A revisão independente, realizada em 2017, avaliou 223 projetos concluídos do ERC que terminaram em meados de 2015. Considerou que 79% deles alcançaram um grande avanço científico, 19% dos quais foram considerados avanços fundamentais. Essa proporção subiu para 27% para os Subsídios Avançados do ERC, que são concedidos a pesquisadores experientes. Apenas 1% do total foi considerado como não tendo contribuído cientificamente. A revisão foi publicada em 31 de maio.

Estabelecido em 2007 para melhorar a qualidade da ciência da Europa, o ERC é o principal financiador de pesquisa sobre os céus azuis da União Europeia e faz parte do Horizonte 2020, o principal programa de financiamento científico da UE. Ele concede doações generosas e plurianuais em qualquer disciplina e as inscrições são julgadas exclusivamente pela sua qualidade. O conselho realizou revisões anuais dos projetos que financia desde que realizou uma avaliação piloto popular em 2015. A estratégia é pioneira entre financiadores europeus, a maioria dos quais avalia o sucesso em uma base projeto por projeto, e foi elogiada por ter abordagem qualitativa, em vez de confiar, por exemplo, na bibliometria.

Negócio arriscado

A última avaliação foi realizada por cientistas seniores convocados pelo Conselho Científico do ERC. A cada membro do painel foi feita uma série de perguntas sobre um conjunto de projetos selecionados aleatoriamente. Este ano, os avaliadores também foram solicitados a se concentrarem no risco de um projeto em maior grau do que nos anos anteriores. (Um porta-voz do ERC disse que o conselho ainda está refinando a metodologia da avaliação.)

O valor de 19% dos avanços científicos na última avaliação é menor do que em anos anteriores; 21% e 25% dos projetos do CEI avaliados nos exercícios de 2015 e 2016, respetivamente, foram classificados como tal (ver «principais bolsas de investigação da Europa»).

Os revisores consideraram que a maioria dos projetos que fizeram avanços foram de alto risco e alta recompensa, e apenas 10% dos projetos foram considerados de baixo risco. “O ERC realmente impulsionou a expectativa de elevar os limites da ciência e assumir mais riscos”, diz Jan Palmowski, secretário-geral da Associação de Universidades Européias de Pesquisa Intensiva, um grupo de lobby em Bruxelas.

A avaliação mostra que o financiamento favorável ao risco é crucial para reter talentos na Europa, onde os financiadores de pesquisa geralmente são avessos ao risco, diz Martin Vechev, cientista da computação do Instituto Federal Suíço de Tecnologia em Zurique, que recebeu uma doação ERC pesquisadores de carreira em 2015, depois de passar um tempo na empresa de computação IBM nos Estados Unidos. A doação o encorajou a permanecer na Europa, e ele diz que o financiamento ajudou sua equipe a desenvolver um novo sub-campo de inteligência artificial que se concentra em máquinas que automaticamente escrevem código de computador.

Os revisores também consideraram que mais de 50% dos projetos já haviam causado impacto econômico e social. Em um discurso no início deste ano, o presidente do ERC, Jean-Pierre Bourguignon, disse que a pesquisa financiada pelo conselho gerou 29% das patentes aprovadas do financiamento da UE em 2007-2013, apesar de receber menos de 17% do dinheiro.

Incentivo ao financiamento

A revisão chega em um momento crucial para o financiamento da pesquisa da UE, dizem os observadores. Esta semana, a Comissão Européia deverá divulgar um plano orçamentário detalhado para a próxima parcela de seu principal programa de financiamento, que incluirá o próximo pote de financiamento do ERC. O programa, chamado Horizon Europe, será executado entre 2021 e 2027 e tem um orçamento proposto de quase € 100 bilhões (US $ 117 bilhões).

A última revisão fornece munição na luta para aumentar o orçamento do ERC, diz Palmowski. Sua organização defende a duplicação do orçamento anual, que em 2017 era de € 1,8 bilhão (começou com € 300 milhões em 2007).

As descobertas devem encorajar os formuladores de políticas em toda a Europa a concentrarem seus fundos nacionais de pesquisa em excelência, mesmo que o crescimento econômico seja sua prioridade, diz a Liga das Universidades Europeias de Pesquisa (LERU). “O ERC mostra claramente que o foco na excelência somente no estágio de aplicação também leva a impactos demonstráveis”, diz Laura Keustermans, diretora de política sênior do LERU em Leuven, na Bélgica. Desde a sua criação, os bolseiros do ERC ganharam seis prêmios Nobel e quatro medalhas Fields, considerados o prémio de maior prestígio em matemática.

Para ler o estudo (em inglês) basta clicar aqui.Com informações do ERC.

Você também pode gostar...

English EN Portuguese PT Spanish ES