Como os gastos da Irlanda com o bem-estar se comparam ao resto da Europa?

A Irlanda é um estado de bem-estar (Welfare State) generoso? Na maior parte, os gastos do Estado em coisas como bem-estar e saúde são medidos calculando sua contribuição percentual para o produto interno bruto ou PIB. O PIB em seu uso moderno foi desenvolvido pelo economista ganhador do Prêmio Nobel, Simon Kuznets, que, de fato, alertou contra seu uso como uma medida do bem-estar geral ou progresso de um país.

No entanto, o PIB ainda funciona um pouco como o santo graal das medidas econômicas. É também frequentemente a base sobre a qual as decisões políticas são tomadas e justificadas e, portanto, devem ser escrutinadas. Utilizando dados coligidos e disponibilizados gratuitamente através do Eurostat, o serviço estatístico da União Europeia (UE), é possível ter uma ideia exatamente de onde o Estado irlandês se classifica na Europa em termos de despesas sociais como percentagem do PIB.

Definindo o contexto, os dados mais recentes do Eurostat mostram que a despesa das administrações públicas da Irlanda em percentagem do PIB foi de 26,3% em 2017, tendo diminuído constantemente de 65% em 2010. Isto faz sentido imediato, tendo a Irlanda recentemente saído de um período de austeridade intensa durante a qual os gastos do Estado teriam naturalmente aumentado antes de diminuir gradualmente à medida que a atividade econômica ressurgisse.

Os números do Eurostat também mostram que 22,7 por cento das pessoas aqui estavam em risco de exclusão social ou pobreza em 2017. Isto está de acordo com os números divulgados pelo Escritório Central de Estatísticas (CSO) para a Irlanda em 2017 que mostram que se as transferências sociais fossem removidas como forma de renda, a taxa global de risco de pobreza saltaria de 15,7% para 43,8%. O bem-estar do Estado, então, é claramente uma importante rede de proteção social.

Analisando os dados do Eurostat, podemos ver que o rácio da despesa pública com a proteção social em relação ao PIB na Irlanda em 2017 foi de 9,5%. Isso variou consideravelmente entre os estados membros da UE de 9,5% na Irlanda para quase um quarto na Finlândia (24,9%). A França, a Dinamarca, a Itália, a Áustria e a Suécia dedicaram pelo menos 20% do PIB à proteção social, enquanto a Irlanda, Lituânia, Malta, Letónia, Roménia, República Checa e Bulgária gastaram menos de 13% do PIB em proteção social. Ao usar o PIB como medida, fica claro que a Irlanda está longe de ser a melhor em termos de gastos gerais com proteção social. Na verdade, estamos muito no fundo.

Total Geral de Gastos em Proteção Social 2017 (% do PIB)

Estado das despesas públicas em matéria de segurança social em toda a UE
Também é possível usar os dados para ver como a Irlanda paga seus gastos em relação a grupos específicos. O grupo “velhice”, que inclui pensões, representou 10,1% do PIB no total da UE em 2017. Representou a maior parte das despesas em proteção social em todos os Estados-Membros, sendo as mais elevadas registadas na Grécia e na Finlândia ( 13,8%), seguida da França e da Itália (ambos 13,4%). Em contraste, a Irlanda (3,4%), a Lituânia (5,7%) e Chipre (6,0%) registaram as quotas mais baixas. Mais uma vez, parece que a Irlanda é um tanto quanto um retardatário europeu aqui.

Se observarmos como a Irlanda faz no contexto dos gastos com proteção social nas áreas da saúde e da doença como porcentagem do PIB, a história é semelhante. Vemos que a Irlanda é de 1,9%, em contraste com os que estão em alta na tabela, como Dinamarca (4,4%), Holanda (4,1%) e Finlândia (3,1%). Este também é o caso dos gastos do Estado com o apoio ao desemprego. Na Irlanda, este valor em percentagem do PIB situa-se em 1,1% para 2017, à frente de países como a Bulgária (0,1%) e a Grécia (0,5%), em sintonia com países como o Luxemburgo (1,1%) e a Áustria (1,3 %) mas a alguma distância de outros estados membros como a Dinamarca (2,3%) e a Finlândia (2,3%).

Para usar uma analogia esportiva, a Irlanda não está jogando futebol da Premier League quando se trata de gastos com previdência social, mas também não está chutando canelas como se fosse da 4a divisão.

Se você se afastar do PIB e considerar os gastos do Estado em termos reais, a imagem permanece praticamente inalterada. No geral, os gastos do Estado irlandês com proteção social, quando calculados por habitante, chegam a apenas € 8.500 por ano a partir de 2016.

A Irlanda não está perto do menor gasto que é o que se gasta na Sérvia com € 982 por cabeça, seguida pela Bulgária com € 1,104. Mas também não está nem perto do topo que seria a Noruega (18,650 euros), seguida de perto pelo Luxemburgo (18 361 euros) e pela Suíça (16 404 euros).

Embora essas figuras pintem um quadro, há, sem dúvida, uma percepção de senso comum de que a Irlanda, como um “estado de bem-estar”, é excessivamente generosa. Esse mito é então povoado por uma infinidade de “diabos folclóricos”, como o “turista de bem-estar”, que fez seu caminho aqui para aproveitar o generoso sistema de assistência social, o “scrounger”, que tem 25 filhos que ele nunca vê, mora em um palácio e nunca trabalhou um dia em sua vida; a “mãe do bem-estar” que “produziu” um bando de crianças para viver da renda que o Estado oferece e assim por diante.

Exemplos extremos para justificar uma posição particular. Menos diplomaticamente, eles são geralmente cerca de 95% besteira, 5% tênue. No entanto, eles são poderosos, muitas vezes se tornando dispositivos de enquadramento através dos quais determinados estereótipos sociais são mediados. A Irlanda não é diferente a este respeito.

Diante disso, e dados os números apresentados aqui, permanece a questão de quão generosa a Irlanda é o contexto do bem-estar. Quanto dessa generosidade percebida é expressa de fato e quanto dela é mito e / ou besteira? Para usar uma analogia esportiva, a Irlanda não está jogando futebol da Premier League quando se trata de gastos com previdência social, mas também não está definhando no pé da 4a. divisão. Está provavelmente na 3a divisão e em sua região e poderia estar muito melhor.

4o maior IDH do Mundo

Diante de todos esses dados, a Irlanda se mantém entre os 5 melhores IDHs do mundo. No último ranking, consolidando os dados em 2018 ela atingiu o índice no valor de 0.938. Quanto mais próximo de 1 melhor. E isso deu à Irlanda a 4a melhor nota dentre todos os países avaliados do planeta. Irlanda tem aproximadamente 4.8 milhões de habitantes.

Evolução do IDH da Irlanda desde 1990.

Com informações do EUROSTAT, EUROSTAT e dos relatórios da ONU

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

English EN Portuguese PT Spanish ES