Alemanha planeja ação climática no valor de mais de 100 bilhões de euros

O governo de coalizão da chanceler alemã Angela Merkel planeja comprometer pelo menos 100 bilhões de euros (110 bilhões de dólares) em proteção climática até 2030, de acordo com um projeto de documento político que está sendo discutido na quinta-feira.

Os conservadores de Merkel e os social-democratas de centro-esquerda deveriam discutir até tarde da noite os detalhes antes que o pacote histórico de políticas fosse anunciado na sexta-feira.

A maior economia da UE deve cumprir suas metas climáticas para o próximo ano, mas se comprometeu a cumprir a meta de 2030 de um corte de 55% nas emissões de gases de efeito estufa a partir dos níveis de 1990.

A central de exportação da Alemanha responde por cerca de dois por cento das emissões mundiais responsáveis ​​pelo aquecimento da atmosfera da Terra, derretimento das calotas polares, aumento do nível do mar e intensificação de eventos climáticos violentos.

Após dois verões escaldantes e uma onda de greves estudantis nas sextas-feiras para o futuro e outros protestos ambientais, o governo Merkel tem enfrentado crescente pressão para intensificar seus esforços para proteger o clima.

A coalizão agora parece comprometer-se a gastar “no bilhão de três dígitos”, ou pelo menos 100 bilhões de euros, de acordo com o rascunho de quase 140 páginas intitulado “Climate Protection Program 2030”, visto pela AFP.

O documento afirma que “os investimentos adicionais em medidas favoráveis ​​ao clima apoiarão a economia” e ajudarão a Alemanha à prova de futuro como um local de negócios, comércio e investimento.

A Alemanha quer implementar “uma variedade de medidas eficazes e ambiciosas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa” e ajudar a “preservar a base para a vida na Terra”, disse o rascunho.

As medidas listadas combateriam as emissões nos setores industrial e de energia, bem como em habitação, transporte, agricultura, gestão de resíduos e o próprio aparelho estatal.

O governo pretende aumentar os subsídios para a compra de veículos elétricos de emissão zero e expandir a infraestrutura de carregamento de carros elétricos ainda pouco desenvolvida do país.

Também aumentaria os incentivos fiscais para tornar os edifícios mais eficientes em termos energéticos e promoveria combustíveis alternativos, transporte público local e transporte de carga ecológico.

Atualmente, os dois partidos da coalizão não estão resolvidos sobre como avaliar melhor as emissões nocivas de carbono do petróleo, gás e carvão na atividade econômica, a fim de incentivar alternativas limpas.

Enquanto o partido de Merkel quer expandir o comércio de certificados de emissão, os social-democratas pediram um imposto sobre o carbono.

O governo de Merkel anunciará seu plano no dia esperado para a maior onda internacional de greves climáticas já realizada pelo movimento sextas-feiras para o futuro e pelas centenas de grupos cívicos que o apóiam.

Com informações da AFP

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

English EN Portuguese PT Spanish ES