OMS declara o coronavírus uma emergência de saúde global

30 de janeiro de 2020

Um vôo planejado que repatrie centenas de cidadãos britânicos de Wuhan partirá na manhã de sexta-feira, confirmou o secretário de Relações Exteriores Dominic Raab, já que o número de mortos pelo surto de coronavírus aumentou para 170.

O vôo britânico estava inicialmente programado para deixar Wuhan na quinta-feira, mas entende-se que as permissões chinesas foram adiadas, o que impediu efetivamente o vôo.

“É com satisfação que recebemos a confirmação das autoridades chinesas de que o voo de evacuação do aeroporto de Wuhan para o Reino Unido pode partir às 05:00, horário local, na sexta-feira, 31 de janeiro”, afirmou Raab em comunicado.

“A segurança dos cidadãos britânicos é nossa principal prioridade. Nossa embaixada em Pequim e equipes consulares permanecem em contato próximo com cidadãos britânicos na região para garantir que eles tenham as informações mais recentes de que precisam ”, continuou a declaração.

Os países europeus estão evacuando residentes das cidades chinesas à medida que o coronavírus mortal se espalha, com novos casos na Finlândia, Alemanha e China, onde 170 pessoas morreram e milhares de infectadas.

Com 5.974 casos confirmados na China na quarta-feira, o coronavírus já infectou mais pessoas do que durante o surto de SARS de 2002-2003.

Várias companhias aéreas americanas e britânicas cortaram ou suspenderam completamente os voos de e para a China, incluindo a British Airways e a American Airlines.

A Rússia também fechou a fronteira que compartilha com a China e disse que deixará de emitir vistos eletrônicos.

A Finlândia foi o último país europeu a confirmar um caso de coronavírus na quarta-feira, elevando o número total de casos no continente para nove.

Um turista chinês foi infectado com o vírus em um hospital na Lapônia, de acordo com um comunicado divulgado na quarta-feira pelo Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar (THL) da Finlândia.

Ele disse que o turista era de Wuhan – o epicentro do surto – e que outras 15 pessoas podem ter sido expostas.

Segue quatro novos casos confirmados na França e na Alemanha no início desta semana.

Também quarta-feira, os EUA evacuaram 201 americanos da cidade chinesa de Wuhan, o epicentro do vírus. Agora eles passarão por três dias de monitoramento em uma base militar da Califórnia para garantir que não mostrem sinais da doença.

Um avião, que deveria deixar a França na manhã de quarta-feira, repatriará cerca de 250 cidadãos franceses, enquanto um segundo repatriará mais de 100 cidadãos da UE no final da semana.

Os custos de transporte serão cofinanciados pela UE.

Enquanto isso, British Airways e Lufthansa suspenderam seus voos regulares para a China continental.

Aviões que transportam centenas de evacuados japoneses e americanos também deixaram Wuhan na manhã de quarta-feira.

A Austrália e a Nova Zelândia também planejam evacuar seus nacionais.

Com mais de 5.974 casos confirmados, o novo coronavírus superou oficialmente o surto de SARS – embora o número de mortes permaneça menor.

O Ministério Federal da Saúde da Alemanha disse à Euronews na quarta-feira que as autoridades da Baviera confirmaram que o número de casos no país aumentou de um para quatro. Nenhuma informação adicional foi disponibilizada imediatamente.

https://twitter.com/EU_Commission/status/1222198853165887489

Falando em Pequim, Ma Xiaowei se recusou a estimar quanto tempo levaria para controlar a situação. Ele disse que ainda há conhecimento limitado do mecanismo de propagação do vírus, bem como do risco de sua mutação.

Gao Fu, diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, disse a repórteres que os cientistas estavam observando de perto o vírus e seu comportamento, e até agora nenhuma mudança óbvia foi encontrada.

Enquanto isso, os EUA confirmaram cinco casos de coronavírus, incluindo novos no Arizona e na Califórnia.

Nove casos confirmados na Europa

O Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) alertou que é “provável que haverá mais casos importados” do vírus da China.

As autoridades de saúde francesas dizem que as pessoas diagnosticadas com coronavírus estão indo “muito bem” e que os temores de uma epidemia européia são prematuros.

As autoridades alemãs confirmaram o primeiro caso do país na terça-feira. Um homem de 33 anos havia contraído o vírus depois de conhecer um colega de treinamento chinês.

O presidente do Escritório Estadual de Saúde e Segurança Alimentar da Baviera, Andreas Zapf, disse que o estado do homem está “bom” e “não se deteriorou”. “Vamos ver quanto tempo a internação é necessária”, declarou, acrescentando que sua família e os colegas com quem ele teve contato permanecerão em casa pelo período de incubação de 14 dias.

Mais mortes são esperadas

Josep Jansa

Josep Jansa, principal especialista em preparação e resposta a emergências do ECDC, disse em comunicado no domingo que “como a fonte original permanece desconhecida e a transmissão de humano para humano foi documentada, são esperados mais casos e mortes”.

Bloqueio de viagens na China

Em Hubei, ruas movimentadas, lojas, restaurantes e outros espaços públicos da cidade estavam assustadoramente vazios, pois as autoridades colocaram mais de uma dúzia de cidades em confinamento.

A cidade de Wuhan, onde se originou o surto, anunciou que construirá um hospital designado com espaço para 1.000 leitos até 3 de fevereiro, no estilo de uma instalação que Pequim construiu durante a epidemia de SARS em 2003.

A polícia, as equipes da SWAT e as tropas paramilitares vigiavam a estação de trem da cidade, onde barreiras metálicas bloqueavam as entradas.

As cidades de Pequim, Xangai, Xian e Tianjin suspenderam os serviços de ônibus de longa distância, bem como a vasta província de Shandong.

Como símbolo da preocupação que tomou conta da China, as autoridades anunciaram o fechamento de seções da famosa Grande Muralha, bem como do resort da Disneylândia em Xangai.

A líder de Hong Kong, Carrie Lam, anunciou na terça-feira que todas as ligações ferroviárias à China continental serão fechadas a partir de sexta-feira, a fim de conter o contágio. Isso inclui a estação ferroviária de alta velocidade e a estação ferroviária regular.

A Mongólia já fechou sua vasta fronteira com a China e a Coréia do Norte disse que estava fortalecendo as medidas de quarentena, considerando essas medidas.

Leia mais: WHO declares coronavirus a global health emergency [Euronews]

Você também pode gostar...

English EN Portuguese PT Spanish ES